Xixi no banho?

Recentemente, vi na TV uma propaganda (ou comercial, ou campanha, ou anúncio, ou o termo de publicidade que melhor se encaixe aqui, assumindo minha ignorância no assunto, principalmente perante meu irmão, que melhor domina o tema) estimulando a prática da micção durante o banho, sugestivamente intitulada “Xixi no banho“.

Não discuto os benefícios de tal ação, mesmo porque sempre fui adepto muito antes da divulgação numérica da economia de litros de água. Não sei… parece tão natural aquele monte de água descendo pelo ralo, que bem poderia levar a minha junto, em carona. Acresce que já estou com o sabonete na mão, apto a me limpar por completo, e erradicar qualquer eventual respingo dissidente. Fora o benefício de não compartilhar a última gota com a cueca, maldição perene da existência masculina. Eis a possível razão dos forros reforçados em algodão na região frontal das peças, analogamente à região inferior das calcinhas sem fins sedutores/procriativos. Mas divago…

Não discuto os benefícios, também, por entender que a campanha preconiza a substituição do ato mictório prévio à higienização, normalmente realizado junto a um vaso sanitário ou equivalente, pelo ato durante o banho, de modo que, em vez de gastar a água da descarga (água potável, segundo o site, embora eu tenha minhas dúvidas sobre a potabilidade da água da privada, o que não acontece com muitos cães), aproveite-se a água que já é utilizada durante a chuveirada. Pensando bem, alguém aí consegue se ensaboar, ou lavar a cabeça, ao mesmo tempo em que urina? Aliás, alguém consegue fazer qualquer outra coisa durante o xixi, que não se concentrar nele? Talvez valha um estudo comparativo entre o volume de água da descarga e o gasto no chuveiro durante a ação única de se mijar.

Mas não é sobre isso que queria falar. O que acho digno de menção é a linguagem abordada na campanha da ONG, que busca ser bem sucinta, idealizando a autoexplicação do slogan “xixi no banho”. Pitadas de ironia e sarcasmo me fizeram perceber que a frase não é tão imediata assim, e, via twitter, pensei em formas de reforçar a iniciativa. São elas (obs: os tweets podem ter sofrido alterações para melhor adequação ao formato de 140 caracteres):

– Por causa da campanha “xixi no chuveiro”, tenho tomado agora cerca de 5 a 6 banhos por dia. Explica de novo como isso vai ajudar a economizar água?

– Aliás, o “no chuveiro” foi por minha conta; a campanha oficial diz “xixi no banho”, o que me leva a pensar – isso inclui banhos de banheira?!

– Minha tia, recém operada, também aderiu à ação. As enfermeiras que a limpam na cama que parecem não ter curtido muito…

– Aí foi a vez da minha família em peso participar da campanha. Meu pai, que toma Lasix®, está com os dedinhos todos enrugados, coitado! Também, com 12 banhos diários!

– Até minha gata curtiu entrar na dança. E acho que o cara do petshop também, porque agora ri à toa cada vez que nos vê. Só meu bolso que anda meio antiecológico…

– Radicalizei! Contra o desperdício de água naquelas longas descargas antitoroço, expandi a campanha para “Cocô no banho”, que ainda garante a proteção às árvores com a economia de papel.

That was it. Bom mexer no meu blog novamente.

André

1 Response to “Xixi no banho?”


  1. 1 Anderson 08/01/2010 às 10:17 am

    O que mais será que dá para fazer no banho???? Divagando….


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: