Exposição – prólogo

Eis que posso me utilizar do sistema para me manifestar mais livremente, sem a costumeira dependência de sua criatividade ou boa vontade em criar palavras. Ainda assim, não me considero um traidor, visto que só o faço por acreditar no benefício do feito, quando ele mesmo não teria a coragem de se expor, talvez por receio do julgamento alheio, talvez por falta de confiança em sua própria capacidade, enfim com a mesma reticência. Fato é não ser feitio preocupar-se tanto com a opinião, pelo menos quando se trata de defender a sua, mas ainda assim o livro do fardo assumindo para mim a responsabilidade das publicações, de modo que não o culpem por elas. Por outro lado, se ele decidiu expô-las em matéria, não está tão acometido por temor assim, e eu estaria com um excesso de zelo, comprovando a minha fidelidade.

Mas já se tornou um prólogo do prólogo. Contarei, pois, o que prologo: decidido a enviar algumas de suas obras para o “Concurso de Poesias da Vet”, promovido pelo Departamento de Cultura do Centro Acadêmico Moacir Rossi Nilsson, foi obrigado a transcrevê-las para o formato digital, dando-me total acesso a elas. Se lá seu material concorrerá por votos, estará, consequentemente, disponível em um formato de exposição, a qual, transcrita aqui, justifica o título.

Sua maior influência poética é, sem dúvida, a de Dante. E isso fica marcado pela sua predileção pela forma de tercetos, utilizada pelo gênio florentino na Comédia, obra que divide o posto de favorita com a virgiliana Eneida. E não sem razão: embora cru na arte de redigir epopeias, seus últimos contatos com o mundo dos versos incluiu, juntamente com as citadas, a Ilíada, a Odisseia e o Fausto, enquanto Camões e Milton passaram a ser suas próximas ambições, para, assim, desfrutar do prestígio de ter consumido as principais produções do gênero concebidas pela humanidade.

Ato contínuo, a vontade de criar a sua, moldada ao seu tempo, assimilando seus universos intelectual e popular, despertou com um desejo de fazer frente ao mainstream de romances e filmagens envolvendo o vampirismo: na forma, combatendo a prosa bestseller com versos épicos em tercetos; no conteúdo, combatendo os sanguessugas idealizados com lobos, na forma licantrópica, de valores esféricos e desenrolar mais sombrio. Tudo isso com inclusões de seus valores e convicções filosóficas.

Tal é a primeira obra a ser exposta: a Lupíada, em sua versão delta (como hipérbole de beta), apenas iniciada, e que anseia por poder homenagear seus gênios inspiradores, se não os ofender no processo, e se tornar sua masterpiece.

A segunda se desvia para o campo lírico, em uma ode aos sentimentos por uma musa, intitulada L’Ariel, a exemplo da Beatriz de Dante, ou da Margarida de Goethe, ou mesmo da Dulcineia de Cervantes. Não se iludam; apesar do tema poder ser considerado cliché, e a essência do texto marcada pelo sentimentalismo, a formação racional do autor impregna a obra através da experimentação da língua. Os Tercetos, título técnico, são, provavelmente, o experimentalismo mais complexo que ele criou, havendo, no original, notas para os amigos que quisessem entender sem suas explicações verbais, mas que não serão aqui ou lá publicadas.

A terceira, e última, consagrando o número que permeia toda a metrificação das suas estrofes em tercetos, trata-se de uma extensão ao lirismo anterior, porém redigido em língua inglesa, reforçando o senso mundial de que o amor não teria idiomas, através de mais uma experiência sua com as palavras. Um curioso resultado que pode ser percebido é que a obra em língua estrangeira tende a ser mais facilmente compreensível que sua predecessora.

Três poemas de tercetos, em três posts que virão adiante.

Blog do André

0 Responses to “Exposição – prólogo”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: