//³

Se alguém achou interessante o conceito de imprint dado na saga Crepúsculo, talvez goste de saber que uma descrição bem semelhante da sensação já havia sido relatada séculos antes. Eu gostei.

***

“I was not left drifting. A new string held me where I was.

Not one string, but a million. Not strings, but steel cables. A million steel cables all tying me to one thing – to the very center of the universe.

I could see that now – how the universe swirled around this one point. I’d never seen the symmetry of the universe before, but now it was plain.

The gravity of the earth no longer tied me to the place where I stood.

It was the baby girl in the blond vampire’s arms that held me here now.

Renesmee.”

(Meyer, Stephenie. Breaking Dawn, Book Two – Jacob, Chapter 18. Little Brown. 2008)

**

Depois de um pouco de insulina…

**

“Amores da alta esposa de Peleu

Me fizeram tomar tamanha empresa.

Todas as Deusas desprezei do céu,

Só por amar das águas a Princesa.

Um dia a vi, co’as filhas de Nereu,

Sair nua na praia: e logo presa

A vontade senti de tal maneira

Que ainda não sinto cousa que mais queira.”

(Camões, Luiz Vaz. Os Lusíadas, Episódio do Gigante Adamastor, Canto V, Estrofe 52. 1572)

***

O título se eleva ao cubo não só por ser a terceira vez que crio um post sobre paralelos, mas por poder colocar, aqui, também, a referência aos meus Tercetos, quando ainda nem tinha lido o canto mencionado.

André

0 Responses to “//³”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: