Insisto na igualdade

Aviso: os parágrafos seguintes trarão o maior #HATERSGONNAHATE da História da humanidade. Mas ainda assim os escreverei, pois poderá ser um texto aclamado em uma sociedade menos primitiva.

Sabem qual vai ser a próxima polêmica na luta pelo direito das pessoas se amarem? Pararem de condenar o incesto. Primeiro nas horizontais das árvores genealógicas. Depois, quem sabe, nas verticais.

Em última análise, não há razão lógica para que dois indivíduos ADULTOS e de posse de suas plenas condições de entendimento e decisão não possam se gostar, independentemente do grau de parentesco. Primeiro, a prática era bem antiga nas realezas. Segundo, sanaria muitos problemas de relacionamentos prejudicados pelas projeções de complexo de Édipo e Electra, e todos os similares cujos nomes nem conheço.

O primeiro argumento contra será a enorme chance de filhos nascerem com problemas. Mas quer maior problema conceptivo do que o não nascimento? E é esse um dos que usam para combater a união homoafetiva.

O segundo vai ser um ataque direto a quem pregar a ideia, dizendo que ele ou ela quer praticar incesto. Ora, não quero quero pegar minhas irmãs ou minha mãe tanto quanto não quero casar com outro homem, e nem por isso vou ser contra quem é feliz assim.

Aí começa a fase de argumentos difusos (não sem antes passar pelo estágio dos comentários jocosos e de escárnio): não é de Deus, a sociedade vai se desestabilizar, família de verdade é um marido e uma mulher não parentes… Então chegam os ativistas, lembrando que um dia pessoas de cores diferentes não podiam ficar juntas, um dia pessoas do mesmo sexo não podiam ficar juntas, e um dia pessoas da mesma família poderão ficar juntas!

Muitos tweets, memes, posts, curtidas, compartilhamentos, ou seus análogos no que estiver em voga na tecnologia da comunicação… Pressão sobre políticos. A primeira Lei em algum país!! Protestos de todos os lados, Bolsonaros e Felicianos da época… e por aí vai.

Até que, um dia, um casal formado por irmãs gêmeas bivitelinas de cores de pele distintas lerá esses bytes para seu filho, mostrando como a sociedade do início do século XXI era mais próxima da Idade dos Metais do que do seu tempo, e que demorou até que descobrissem que o melhor caminho para a felicidade era não interferir na felicidade alheia.

Xingamentos em 3, 2, 1…

André

0 Responses to “Insisto na igualdade”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: